Pequenas grandes ideias

 

 

Pensar é só começar

Ao acordar, tente visualizar os seus sonhos. Feche os olhos e procure ver, em uma tela ampla, o que passou por sua cabeça, na noite finda. De início haverá alguma dificuldade.  Procure ficar em silêncio e busque a sintonia com o seu eu profundo. Ouça, então, a voz do silêncio, a folha branca que precisa ser exporta à luz para revelar as imagens e os sons que estão no  imaginário.

Não tenha pressa, avance lentamente. As imagens poderão vir no decorrer do dia, diante de uma flor, de uma caixa de sapatos, de uma música, de uma palavra. Ou ficarão guardadas, hibernando na caverna escura, até que um raio de luz as desperte.

O dia começa melhor

Evite sair correndo. Lembre-se que “a pressa é inimiga da perfeição”. E que “apressado come cru”. A pressa é, na verdade, inimiga da criação. No café da manhã, procure sentir o cheiro, ouvir os sons da manhã entrando pela janela, sinta os primeiros raios do sol e se deixe envolver pela obra do criador.

Ao sentar para comer sinta a textura do pão, o aroma do cuscuz. Mastigue tudo muito lentamente. Deguste cada porção como se fosse a última da sua vida. Procure sentir o vinho correndo nas veias. Assim, também, deve ser feito com o pensamento, com as ideias que ele pega no sono, no vento, no sabor, no ar, na luz do sol.

Anote, note

Como nem sempre temos tempo de acompanhar o pensamento, anote o que achar mais importante, para que seja resgatado mais tarde. Então faça o mosaico de tudo, juntando as partes com o todo.Pense no sonho, combine-o com os dados revelados no pensamento e forme algo novo. A criação exige uma boa dose de paciência. Às vezes uma ideia se torna relevante após alguns meses e até anos.

Olhe as pessoas nos olhos. Ouça com atenção o que elas dizem. Mantenha-se concentrado, mas aberto ao que está ao seu redor, ao seu alcance.

 

O mapa da mina

 

Estabeleça uma hora para escrever e botar alguma ordem no que foi recolhido. Registre os pensamentos da forma que vierem à cabeça, escrevendo resumidamente, mas conservando os elos principais. Ao registrar sonhos e pensamentos, faça-o da maneira mais detalhada possível, sem se preocupar com a forma do texto. Desenvolva um esquema de anotação como fazem os jornalistas e outros profissionais, e conserve os pontos principais do enredo.

Algumas pessoas usam guardanapos, papel de embrulho e pedaços de jornais, gravadores, máquina de vídeo e de fotografia para registrar os pensamentos. Mesmo fazendo uso destes recursos, na urgência, não abro mão da agenda, onde anoto os sonhos, os pensamentos e as ideias, o que se passa na mente, no coração e no mundo, no dia e hora que nasceram.

Depois, com calma, resuma as ideias, defina as prioridades. Veja as conexões que há entre os sonhos, os pensamentos, a realidade, o seu interesse. Nem tudo que foi sonhado, pensado ou escrito tem utilidade imediata, mas guarde tudo. Afinal ninguém sabe o que nos reserva o dia seguinte.

Após dar uma ordem ao que foi pensando, sentido, vivido, comece a depurar, a pesar, a cortar, a filtrar. Esprema o suprassumo até atingir a síntese, aquela joia que merece ser guardada no cofre, no alto da escada ou no porão, seja em forma de poesia, música, um desenho ou uma operação matemática.

Pequenas e grandes ideias

 

Com as anotações recolhidas, selecionadas e escolhidas por critérios de prioridade e interesse, passe então a construir as grandes e as pequenas ideias. Comece pensando grande. Pense na salvação da humanidade, na preservação da vida na terra. E formule, assim, a ideia que irá resolver o problema que lhe angustia a alma,até nova erupção, em forma de paixão, canção, poesia.

As grandes ideias surgem a partir de elementos e circunstâncias simples. Seu sonho e seu pensamento podem ser revelados diante do inusitado. Gregor Mendel é considerado o pai da genética, mas seu estudo aconteceu no jardim, ao observar os pés de inocentes ervilhas. Conta a história que Isaac Newton descobriu a Lei da Gravidade após uma maça cair em sua cabeça.

Observe, anote e não perca as oportunidades. No nordeste brasileiro, onde vivo, não é comum pé de maça. Procure as sombras das árvores. Sombra e água fresca sempre ajudam os que buscam as descobertas. Cuidado,  escolha com carinho a árvores onde vai armar a rede. Algumas deixam cair algo mais consistente. Em vez de uma ideia, você pode ganhar uma dor de cabeça. Ou algo pior.

Anúncios

Sobre panakui

O site www.folhadoamanha.net e o Sítio Panakuí convidam para a oficina Sítio Ecológico, um guia para salvar a terra, ministrada pelo jornalista e ecologista Moisés Matias. O pesquisador desenvolveu uma metodologia de valoração dos recursos naturais e culturais, um método de criação de um circulo virtuoso, similar ao indicador de Felicidade Interna Bruta (FIB), ou seja, onde há, supostamente, pobreza e tristeza, floresce a fartura e a felicidade. A oficina acontece nos sábados, no Sítio Ecológico onde foi desenvolvido o estudo. As inscrições podem ser feitas pelo fone (98) 3253 3372, ou pelo e-mail moises-matias@ig.com.br "Aprenda a fazer um sítio na sua casa, no seu apartamento ou em uma área de terra. Assim você estará atuando firme, em seu local de moradia,para salvar o planeta.

Publicado em 30/07/2012, em artigos, ecologia e criatividade, meio ambiente, SBPC. Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s