A solução local e definitiva para a poluição das praias

 

O fim do papel higiênico

Estudante mostra como usar uma folha no lugar do papel higiênico

A solução é tratar o cocô na fonte produtora.

O problema é grave: São Luís despeja, diariamente, 600 toneladas de fezes nas águas da ilha. Todo esse cocô finda nas praias que circundam a Ilha.

Há muitas soluções mirabolantes, como emissário marinho, estações modernas e caras de  tratamento de esgotos, entre outras.

Apresentamos, aqui, a solução mais simples e definitiva: a construção de micro-estações de tratamento do esgoto doméstico por unidade produtora, por residência.

A construção e a implantação dessas micro-estações gerariam milhares de empregos diretos e daria para produzir gás metano, para ser usado como energia, adubo e ração.

O biodigestor, um dos nomes da micro-estação, é conhecido há milhares de anos. A razão de não ser utilizado em grande escala, no Brasil, no Maranhão, explica-se pelo fato de ser barato e de fácil construção e manutenção. Ou seja, pode ser construído e manuseado pelo usuário, sem a necessidade das obras faraônicas, adoradas pelos administradores corruptos.

A implantação obrigatória da micro-estação de tratamento, do biodigestor, exige o envolvimento da comunidade acadêmica. Há centenas de modelos disponíveis, mas as universidades locais não possuem laboratórios e pesquisadores envolvidos com o tema. Tem o Lúcio Macedo e o Veneraldo Costa, dois abnegados.

Mas a questão ê: não gostamos de falar de cocô, do nosso cocô. É assunto, digamos assim, inferior. Só que todos os nossos rios estão mortos, podres. As praias estão sujas, sobrecarregadas com o cocô que não queremos falar, que dirá tratar. Eu falo. Estou buscando uma solução para o meu, o da minha casa. Vamos encarar o desafio?

Sobre panakui

O site www.folhadoamanha.net e o Sítio Panakuí convidam para a oficina Sítio Ecológico, um guia para salvar a terra, ministrada pelo jornalista e ecologista Moisés Matias. O pesquisador desenvolveu uma metodologia de valoração dos recursos naturais e culturais, um método de criação de um circulo virtuoso, similar ao indicador de Felicidade Interna Bruta (FIB), ou seja, onde há, supostamente, pobreza e tristeza, floresce a fartura e a felicidade. A oficina acontece nos sábados, no Sítio Ecológico onde foi desenvolvido o estudo. As inscrições podem ser feitas pelo fone (98) 3253 3372, ou pelo e-mail moises-matias@ig.com.br "Aprenda a fazer um sítio na sua casa, no seu apartamento ou em uma área de terra. Assim você estará atuando firme, em seu local de moradia,para salvar o planeta.

Publicado em 19/09/2012, em ecologia e criatividade e marcado como . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s