“Programa Lixo Orgânico Zero” será lançado pela prefeitura de São Luís hoje às 15 horas na Associação Comercial

A Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Semmam), lança nesta quarta-feira, (17.12), a partir das 15 hs, no auditório da Associação Comercial, o projeto “São Luís Resíduo Orgânico Zero”, que será executado por meio de oficinas realizadas em áreas pré-selecionadas da capital e que tem por finalidade o tratamento de resíduos sólidos domiciliares por meio de um sistema de micro-compostagem.

lixo organico zero

De acordo com o secretário da Semmam, Rodrigo Maia, a implantação do “São Luís Resíduo Orgânico Zero” vai contribuir para que o município avance na gestão sustentável de resíduos. “A geração de resíduos orgânicos causa grandes problemas ambientais, como a disposição inadequada em lixões que contaminam o solo, recursos hídricos e saturação dos aterros sanitários”, explica.

Nas oficinas do projeto será trabalhada a micro-compostagem desses materiais, como forma eficiente de reaproveitar os resíduos, diminuindo a presença deles nos lixões a céu aberto ou aterro sanitário, promovendo uma nova utilização através de sua transformação em adubo orgânico seco ou umidificado.

Kits Panakuí e Resíduo orgânico zero

Durante o lançamento do projeto, que acontece dia 17 de dezembro, no Auditório da Associação Comercial do Maranhão (ACM), o jornalista e ecologista, Moisés Matias, fará uma palestra tendo como foco a metodológica que será aplicada nas oficinas do “São Luís Resíduo Zero. O Kit Panakuí foi desenvolvido no sítio do pesquisador. Também serão distribuídos kits contendo o projeto da Semmam, camiseta da ação, cartilha e sacolas para uso em veículos.

moisésSegundo a superintendente de Planejamento da Semmam, Rosirene Lima, após o lançamento do projeto, começam as oficinas. As comunidades dos bairros Jaracati e Diamante serão as primeiras a receber a ação. “O critério para a participação nas oficinas, são pessoas que possuam quintais (não cimentados), já que parte da compostagem utilizará a terra para a decomposição”, explica.

Para a superintendente, o projeto atenderá de forma satisfatória a redução em longo prazo, tomando como premissa que cada cidadão é um polo gerador de resíduo doméstico. O resíduo gerado será transformado em adubo orgânico a ser utilizado em hortas caseiras, jardins ou para ser comercializado.

da Redação

Sobre valberlucio

Administrador e Produtor Cultural ...Estudante de Mídias Sociais.Especialista elaboração,Execução,Monitoramento e prestação de contas em Projetos Culturais e Sociais, como foco na organização de processos de gestão.

Publicado em 17/12/2014, em artigos, campanha, lixo orgânico, meio ambiente, moisés matias, negócios e marcado como , , . Adicione o link aos favoritos. Deixe um comentário.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s