Arquivos do Blog

Lançamento do Livro “Ecologia e Criatividade” de Moisés Matias na SBPC

 

  clique na imagem para ampliar

o Lançamento será no Espaço SEBRAE NA 64ª Reunião Anual da SBPC que acontecerá no Campus da UFMA

dia: 25 de Julho (quarta-feira)

horário: 17:00h 

(Estejam Todos Convidados)

Sobre o Livro ECOLOGIA E CRIATIVIDADE

por Félix Alberto Lima*

 

“Ecologia e criatividade” é um suspiro oportuno e verdadeiro com o qual Moisés Matias nos conta como atravessou o mar vermelho de suas inquietações vividas, de suas vicissitudes. O livro integra a trilogia iniciada com “Sítio ecológico, um guia para salvar a terra”, e que deve ser concluída em breve com “Ecologia e estresse”. De antemão, o leitor deve ser alertado: “Ecologia e criatividade” não é um manual de navegação para ambientalistas ou prontuário de autoajuda, mas uma peça para errantes, escravos do tempo, pessoas comuns, vítimas de cóleras digitais.

 Não é bula, mas é balsâmico. É o encontro do autor consigo mesmo, remoçado. Moisés Matias faz o caminho de volta às suas origens, a infância nos seringais do Acre, recria a passagem pelos Andes no Illimani até se deparar com o processo criativo que brota do contato com as pequenas coisas, no silêncio de Panakuí, o seu porto seguro. Panakuí representa para o autor a reinvenção da ecologia, a ecologia da alma que inspira sossego e abre as janelas da criatividade.  

 Depois de anos na guerrilha da notícia, no ativismo pagão, na carapuça partidária, Moisés Matias descobriu que “a pressa é inimiga da criação”. Para um jornalista de formação, isso é quase uma heresia. “Aos poucos fui saindo da mídia. Sumi para o mundo e fui atrás de mim, da minha essência”.

 Didatismo ou escapismo? O autor acasala livremente simples soluções ambientais com dramas existenciais do cotidiano e retira daí o sal da terra para a sua saúde mental e física. Às vezes o professor fala mais alto, com suas lições e cavalgadas pelas colinas da teoria e pelo pântano das confissões científicas. É também o poeta em transe carregado por sensações, sonhos e pensamentos anotados no papel de pão. É o repórter involuntário, o colecionador de pequenas histórias, o fotógrafo no encalço das orquídeas e dos girassóis e o lavrador urbano.

 Esse “ar avoado de quem está sempre ausente” empresta a Moisés Matias a capacidade de ruminar ideias com liberdade, o que o torna esquivo da ecologia cartesiana. O homem em crise, encoleirado pelo excesso de informação e problemas de saúde, encontra forças para dialogar livremente com o menino deixado para trás nas florestas acreanas, o agente da cura.

 “Ecologia e criatividade” sugere ao leitor uma reflexão necessária sobre a velocidade dos dias. O livro não é a verdade derradeira, mas indica a linha do horizonte e dá pistas de como aproveitar cada segundo dos lampejos de inspiração, sem medo nem pressa. A criatividade, afinal, é como uma locomotiva desgovernada, sem freio. Para criar, é preciso imaginar a trilha.

 Moisés Matias revela-se um ser sitiado na sua caldeira de emoções cotidianas, como quem descobre um baú de esperança no final do arco-íris. As páginas dessa ecologia são confissões de um ex-atormentado que descobriu a receita líquida da felicidade interna bruta.

 * Jornalista e escrito

 

 

 

 

Concluída a edição do livro Ecologia e Criatividade

Ecologia e Criatividade está na prensa.

Meu novo ivro está na gráfica. Acabei a edição, a revisão final do trabalho Ecologia e Criatividade. A edição ficou a cargo da Dupla Criação, que tem como slogan: “Criatividade sem limites”. quem conhece Iramir e Beto Nicácio sabem que eles são aplicados em tudo que assinam. Eu gostei do resultado final. Com a parceria do SEBRAE, o livro lançará a marca Panakuí como espaço voltado também à formação de pessoas criativas. Em 12 capítulos, o livro vem com a apresentação do Rinaldo Nunes, parceiro na utopia lúcida, e a radiografia sensível do escritor Felix Alberto Lima.

Leve como a pluma plainando ao sabor do ventoTrata-se de um trabalho que vem sendo ruminado há mais de 20 anos. O livro de poesias que ele carrega tem 10 anos. Algumas fotografias tem esta idade ou mais.

É um pequeno livro, com pouco mais de 100 páginas. Mas os amigos e amigas, cúmplices na aventura do desbravamento,

irão encontrar muito mais que pistas das descobertas, mas as suas digitais, os sorrisos e olhares que foram semeados nas rodas, conversas, batalhas, vitórias e derrotas do trajeto.

O lançamento, prevista para o evento da SBPC, ainda está sendo organizado. Em breve darei maiores detalhes.

Por Moisés Matias